Total de visualizações de página

sábado, 7 de abril de 2012

"PINÓQUIO"


As aventuras de Pinóquio publicadas entre 1881 e 1883 pelo Italiano Collodi, cujo verdadeiro nome é Carlo Lorenzini, são famosas pela marionete que a cada mentira contada seu nariz crescia. O conto apresenta uma narrativa que expressa a coragem, a lealdade, a honestidade e as virtudes que ajudam as crianças a construírem seus próprios pensamentos e atitudes, a caminho do desenvolvimento da moralidade infantil. As obras de Collodi sempre ganharam destaque por sua influência pedagógica.
A partir da análise da obra de Walt  Disney é possível destacar os personagens principais da história, como: Gepeto, o carpinteiro; Pinóquio, o boneco de madeira; Grilo Falante, a consciência; Fada Azul, a fada madrinha e os malfeitores da história.
Gepeto é um velho carpinteiro que vive sozinho, construindo Pinóquio para ocupar sua solidão, tendo ainda a expectativa de que ele pudesse se tornar um menino de verdade. Pinóquio é apresentado como um boneco de madeira, meigo e ingênuo, que só poderá virar um menino de verdade quando provar ser valente, sincero e generoso. Durante suas aventuras, Pinóquio não se preocupa com o certo ou com o errado, inspirando exatamente a falta de qualquer princípio ou moral. Neste momento de incertezas ele contará com sua consciência, ou seja, o Grilo Falante, um inseto muito amigo e sempre disposto a ajudar o menino. A Fada Azul é a “fada madrinha” da história e aparece sempre que precisam de sua ajuda. O conto também apresenta os “malfeitores”, aqueles que sempre tentam desviar alguém para o caminho errado.
Era preciso que Pinóquio enfrentasse os obstáculos que viriam em seu caminho para poder se transformar um ser humano digno e honesto. Dessa maneira, o educador pode trabalhar com essa passagem da história com a intenção de transmitir uma mensagem de que se formos honestos seremos recompensados com algo de bom em nossas vidas, ou seja, evidenciar a importância do valor moral honestidade em nossa sociedade.
O Grilo Falante e a Fada Azul entram em ação para ajudar o garoto, alertando-o dos perigos e suas eventuais consequências. Estes personagens são os adultos da história, portanto é fundamental que o professor trabalhe a importância da mediação do adulto na construção dos valores morais das crianças pequenas, contribuindo, dessa forma, para que elas construam a sua capacidade de raciocinar moralmente sobre os diferentes temas éticos, auxiliando-as no processo de construção da autonomia.
Os malfeitores da história são pessoas desconhecidas e desonestas que aparecem na vida de Pinóquio, querendo levá-lo para o caminho errado.  Pode-se questionar as crianças sobre o perigo de nos aproximar dessas pessoas. Na verdade, a intenção não é a de assustar, mas de mostrar que é preciso ter a necessidade de confiança e proteção.  Dessa maneira, as crianças podem liberar o medo, enfrentar o perigo e alcançar gradativamente o desenvolvimento moral.
Através das aventuras de Pinóquio a criança descobre a uma nova realidade de vida, ou seja, muda a sua postura diante a mesma. Este conto também destaca a interação entre a criança e a personagem, permitindo a ligação da história com a realidade de cada uma. 
Por fim, compreende-se que as aventuras de Pinóquio destacam características diretamente associadas à construção de valores morais. A história provoca nas crianças pequenas a compreensão de alguns princípios éticos que fazem parte da nossa realidade, apresentados de forma aceitável para o publico infantil.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário